Olá! Caso tenha alguma dúvida é só perguntar em comentários que responderei por lá mesmo.

Páginas

quarta-feira, 6 de julho de 2011

As dores passadas.

Antes de começar aviso q essa postagem tem relato sobre o aborto, é um relato muito forte, não recomendo q grávidas leiam, pq pode impressionar.


Muita gente fala q devemos esquecer o passado e seguir em frente, em partes eu até concordo, mas passado faz parte da sua história, seja ela boa ou má. E as dores vividas precisam ser choradas, para que  você consiga superar.
Meu 2010 foi uns dos piores anos da minha vida, a vendas da empresa caiu muito até o ponto de termos q fechar.
Me sentia depressiva, mal, nada dava certo, falta de dinheiro, privações, foi uma época bem complicada, descobri q estava grávida dia 28/10/2011 finalmente eu achei q depois de tudo, 2010 ia ter valido a pena, finalmente uma felicidade, dentre tantos problemas, me descobri mãe, mesmo diante dessa dificuldade financeira toda q estávamos passando, não importava, eu iria fazer de tudo pra que meu filho tivesse uma boa vida.
No dia seguinte á descoberta consegui um encaixe com minha G.O. ela me pediu exames, me passou Ultra Transvaginal, e me falou q eu iria ter q ter paciência q eu iria ter q fazer várias trans pelo meu peso, q o ultra normal seria complicado ver o BB,  meu ultra foi uns dias depois, meu BB estava bem, escutei o coração, uma das coisas mais gostosas q eu já senti na vida. Porém veio uma má notícia, um descolamento não muito grande do saco gestacional, eu tive que ficar de repouso absoluto pra esse descolamento regridir, q semana e pouco mais tarde (era pra estar com 11 semanas ou prestes a completar) tive a pior notícia da minha vida, meu BB tinha parado de evoluir com 9 semanas de gestação, descobri q estava grávida com 8 semanas, 1 semana depois a maior alegria q tive, parou de crescer dentro de mim, tive um aborto retido.
Meu mundo desmoronou, nunca sofri tanto em minha vida, e eu me perguntava o pq aquilo estava acontecendo, eu fiz tudo q me foi recomendado, pq eu tinha q estar passando por tudo isso, não era justo, e sinceramente eu ainda não acho justo. Não gosto da frase clichê - Deus sabe que faz... Escutei isso demais, engoli a seco 200 vezes essa frase pra mandar a pessoa se ferrar e calar a boca.

Fui até minha médica, e ela me deu 2 opções, deixar meu corpo expulsar ou fazer a curetagem, ela me explicou como seria as duas, e falou q a escolha era minha, eu escolhi que meu corpo expulsasse sozinho, ela falou que achava q eu escolhi o correto, q das suas pacientes q passou por isso raramente alguma tinha q passar por curetagem por não ter expulsado completamente ou não ter conseguido expulsar. Semanalmente eu tinha q ir ao consultório e fazer o ultra para não ter riscos de infecção e pra ver como eu estava evoluindo. Já fazia 2 semanas q eu tinha perdido o BB, e mais 1 ou 2 semanas era pro meu corpo reagir a isso e expulsar.
Mais 2 semanas se passaram e nada acontecia, continuava sangrando na mesma proporção, dorzinhas na mesma proporção, no dia 17/11/10 fui a mais uma consulta, e ela me disse, vou dar mais uma semana senão vamos ter q partir pra curetagem pra não ter risco de infecção.
Eu sai dali com medo de ter q passar pela curetagem, eu não queria aquilo para mim, cheguei em casa, pode parecer loucura, mas eu conversei com meu filho em pensamento e pedi pra q me ajudasse q fosse tudo natural, que mesmo sem ele, eu ia sempre o amar, e q sabia q um dia ele voltaria pra mim.
No dia seguinte, eu e Fá, resolvemos fazer faxina em casa, tínhamos feito algumas mudanças em casa nessas 2 últimas semanas.
Quando foi por volta de 12:00 eu comecei a sentir cólicas fracas, hora parecia gases e vontade de ir ao banheiro, hora parecia cólicas menstrual. Percebi q o processo de expulsão tinha começado.
E assim foi durante todo o dia, a noite lá pelas 21:00 a dor aumentou, mas nada insuportável, reparei q o sangramento já tinha aumentado bem, tomei banho, jantei, e quando foi umas 11:00 deitei e as dores começaram a aumentar, 00:00 eu falei p/ o Fá q ia tentar dormir, pois estava com muita dor e cansada pelo dia, consegui dormir picadinho até 2 hrs da manhã, e a partir daí a dor aumentou demais, o sangramento tbm, eu tentava ficar deitada, mas era impossível minha vontade era de ficar tempo todo sentada no sanitário, aonde parecia q dor melhorava. Eu passei a madrugada assim, entre o quarto e o banheiro, eu queria dormir, meu corpo estava exausto, mas a dor não deixava. Eu estava sangrando muito, e muitas vezes saia coágulos muito grandes junto, as coisas começaram a apertar mais, eu sentia o corpo expulsar os coágulos, após expulsar dava segundos de alívio e em seguida já vinha mais dor, muita dor mesmo.
Quando foi 4:45 da manhã, deu uma aliviada, e resolvi voltar pra cama, mas no meio do caminho senti como se algo rompesse, e voltei ao banheiro, eu pensei q fosse mais coágulos, mas acho q foi como se o saco gestacional tivesse se rompido, era apenas água, o q eu vi foi triste, eu vi que o embrião, meu filho, minha médica tinha dito q eu provavelmente não visse nada, mas eu vi, pois junto com ele não veio sangramento nenhum, apenas água, eu não fiquei olhando por muito tempo não queria sofrer mais, pensei após isso a dor iria diminuir, porém vieram mais fortes e coágulos maiores começaram a sair, a dor era terrível, eu estava sem força, com frio, exausta, eu queria deitar, até tentei, mas só absorvente não dava conta de tanto sangue e coágulos, eu fiquei no banheiro, e o sangue não parava de sair a dor não diminuía, eu cheguei ao ponto de pensar em desistir ir para o hospital pedir anestesia e pedir curetagem para me livrar daquela dor, mas resisti e fiquei em casa, resolvi esperar minha médica chegar ao consultório e ligar a ela pra ver se o q estava acontecendo era normal (eu achava q era por tudo q já tinha lido de outros relatos),  quando foi 8:30 da manhã, tomei um banho quente a dor foi diminuindo e os coágulos também, 9:00 era horário q minha médica iria pro consultório, eu liguei mas ela não estava, ela tinha consulta no pediatra com a filha dela recém nascida, a atendente falou que se eu fosse pro hospital ligariam pra minha médica de lá e ela iria ver se era necessário algum procedimento.
Eu estava muito cansada, não tinha dormido, passei muita dor,estava fraca, resolvi ficar em casa e se caso voltasse a sangrar como antes eu iria pro hospital.
Resolvi deitar, descansar e dormir. Acordei mais ou menos 13:00, e o sangramento tinha diminuído, saia poucos coágulos e pequenos agora.
Td isso aconteceu do dia 18/11 p/ 19/11, dia 19 é aniversário do Fá, infelizmente teve de passar tudo isso no aniversário dele, esteve comigo o tempo todo, ao meu lado, lavou banheiro inúmeras vezes pq eu sangrava demais, não é todo homem que agüentaria ficar ao lado da mulher vendo tudo aquilo.
Na semana seguinte fui ao GO e ultra, vi q meu útero não estava completamente limpo,  fiquei decepcionada, q depois de ter passado por tudo isso ter q passar por uma curetagem por causa de um coágulo tão pequeno ainda no útero, minha GO pediu mais uma consulta antes disso, tinha mais uma consulta com ela na segunda e no fim de semana, no domingo a noite senti um dor grande, fui ao banheiro e senti um coágulo saindo.
Torci para que fosse o q restava a sair.
Segunda eu fui nela e contei o q aconteceu ai ela me passou outro ultra, fui, estava muito nervosa, ansiosa, queria q estivesse tudo bem, entrei na sala para fazer o ultra, (o Fá sempre me acompanhou em todo esse processo, mas falei a ele q nesse dia ele não precisava ir), o médico começou o ultra, começou a falar termos técnicos, tamanho, dimensões, e depois falou algo q não lembro exatamente o q era, mas q eu entendi q meu útero estava limpo sem nada. Ai ele virou e me falou, seu útero está perfeito, seus ovários tbm. Está tudo em ordem, eu falei q era melhor notícia q ele podia ter me dado nos últimos tempos, ai ele virou e me falou, espero vc aqui em breve e agora grávida.=)
Sai dali muito aliviada.
Fui pra casa, contei tudo ao Fá, q ficou feliz por ter tudo acabado, fui em minha GO ainda naquela semana, perguntei quanto tempo ainda iria sangrar, ela disse q deveria cessar em mais umas 2 semanas, q foi o q aconteceu, cessou, mas depois de 4 dias voltou, e q eu poderia considerar meu primeiro ciclo pós aborto.
Não falo pra vcs q eu superei tudo isso ainda, não superei, acho q uma mulher nunca supera a dor de um aborto, ela diminui, mas esquecer jamais, ainda me dói emocionalmente, eu ainda choro, é muito difícil aceitar ainda.

E para fechar 2010 eu ainda fiquei muito gripada, peguei uma gripe mesmo, forte, me derrubou mesmo, e uma dor de dente bem na virada de ano.
Fechei pior ano da minha vida com esperança q 2011 fosse bem melhor, e q apesar de todas dificuldades está sendo.

Bom gente, finalmente contei a vcs como tudo aconteceu, se quiserem me perguntar algo, não fiquem com receio, eu responderei.

Bjokas e obrigada por estarem acompanhando o blog.

Refeição do dia 05/07/2011
*Café – Não tomei
*Almoço – 1 ½ colher de arroz branco c/ brócolis, 1 bife grelhado, ½ concha de feijão
*Jantar – 2 colheres de arroz branco com brócolis, 1 bife panela com 3 rodelas de cenoura cozida, 1 colher  de abobrinha refogada.
*Lanche da noite: 2 fatias de pão integral light c/ margarina

5 comentários:

  1. Olá Carol, tudo bem com voce?

    Acabei de ler esse relato sobre o seu aborto.

    Menina, isso é mesmo muito dolorido, só quem passa
    é que sabe, voce é muito forte, me emocionei muito
    Não deve ser nada fácil esquecer, esses momentos,
    eu te entendo. Sabe, a gente pensa tanta coisa, mais fica difícil escrever.

    Só te digo uma coisa, Fique sempre com Deus

    um beijo carinhoso

    Regina Célia

    ResponderExcluir
  2. Bom nao tem como ler e nao comentar...
    Eu nunca passei por essa dor, apenas as frustacoes ate conseguir engravidar, tb ouvi muitas e mutias vezes a frase deus sabe o que faz, escreve certo por linhas tortas, realmente e dificil aceitar, mas tem coisas que o tempo realmente e o melhor remedio, por mais dificil que seja aceitar...
    Que o resto de 2011 possa ser um ano de luz, paz e muitas alegrias e que o passado fique so nas lembrancas...
    so posso dizer fica com deus
    beijinhos
    gezinha

    ResponderExcluir
  3. oi gata,

    entao, vc sabe, acompanhou minhas história: passei por algo muito parecido. foi muito doído e dói até hoje se eu parar pra pensar nisso. Mas, acredite: a vida vai dar voltas! E em breve seu baby voltará pra voce, viu? Aí vai ser só alegria (e noites mal dormidas, hehehe).

    beijao!

    ResponderExcluir
  4. Graziela Portalete7 de julho de 2011 13:05

    Carol , nem me fala em Deus sabe o que faz ,menina eu houvi isso todo o tempo em que não conseguia engravidar e quando chegava a noite eu chorava muito , perguntando pra Deus pq só comigo que tinha que ser assim , todo mundo ao redor de mim engravidava menos eu...afff...sinto muito pelo seu bebe , não consigo imaginar sua dor...mas amanha vem a vitória ....

    ResponderExcluir
  5. Olá, nossa que terrível o que passou, imagino bem o sofrimento. Agora vc tem que sorrir que vai dar tudo certo! depois dá uma olhadinha no meu blog, eu passei pela curetagem em 2009. Foi horrível tb, vou contar ainda a experiência no meu blogue. Por enquanto contei sobre o aborto. Se quiser ler me dá o prazer da visitinha:http://osmelhoresanosdeminhavida.blogspot.com/2011/12/mais-amor-do-que-meu-coracao-pode.html

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar! Adoro ler os comentários.

Devido a personas non gratas que deve ter muito tempo de sobra pra cuidar da vida alheia, tive de bloquear alguns recursos das minhas redes sociais, inclusive os comentários aqui do blog, que infelizmente só vou deixar aberto para quem tiver uma conta google, pq assim não pode postar anonimamente, e se postar alguma ofensa como fake terá como rastrear.

Obrigada minhas amoras por entenderem.

Bjos e comentem MOOOOOITO. =*